quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Mudanças


Olá gente linda!
Como vão por esse lado?
Não sei bem se ainda alguém me lê, mas também sempre escrevi independentemente disso. Para aqueles que ainda me lêem, desculpem pela ausência, mas por vezes é necessário nos concentrarmos mais na nossa vida real e menos na virtual.
2015 foi um grande ano para mim.
Um ano de grandes mudanças, mudanças essencialmente psicológicas, verdade, mas também na minha vida. Muito tenho a agradecer a quem esteve a meu lado para me apoiar neste processo de mudança, neste processo de crescimento e de elevar a minha auto-estima.
Foi essencialmente isso que estive a fazer, mudar, crescer e valorizar-me. Não é um processo fácil, mas vale muito a pena e é compensador no final, quando nos olhamos ao espelho e independentemente da nossa cara e corpo serem o mesmo nós conseguimos pensar “Eu sou uma pessoa com valor”.
É com este pensamento que a nossa vida começa a receber o feedback dos nossos esforços.

O primeiro esforço que fiz por mim foi inscrever-me num ginásio. Foi difícil combater a preguiça, muito difícil, mas aos poucos fui conseguindo e também ter companhia para ir treinar ajudava imenso! Se consegui o meu objetivo? Sim, consegui, emagreci e provei que era capaz de fazer algo por mim. Não emagreci tudo o que desejava, mas o que emagreci já foi uma vitória para mim! Menos 9 kilos e já faz diferença na roupa. Além disso, é algo para continuar a fazer, emagrecer, pelo menos até atingir o peso ideal. Este ano mudei para um ginásio mais perto de casa (o que me compensa mais e se torna mais motivador, em especial porque o meu namorado vai comigo) e os resultados começaram a aparecer, duas semanas menos quase 2 kilos.

O segundo esforço que fiz por mim foi o de acreditar que posso ser bonita. Eu sei, parece meio parvo convencer-mo-nos que somos bonitos, mas quem passou por uma fase em que se desvalorizava entende que não é assim tão fácil e que exige investimento emocional da nossa parte. Não nascemos ou somos todos bonitos, mas todos podemos ser melhores para nós mesmos e tornar-mo-nos em algo que gostamos e apreciamos, não é algo que tenha de ser narcisista, mas sim que mostre que temos estima por nós, que temos auto-estima. Comecei a investir um pouco mais de tempo a cuidar de mim, a escolher roupa que queria vestir, a maquilhar-me mais e uma série de coisas que foram contribuindo para que eu também visse que posso ter algum encanto.

O terceiro esforço que fiz por mim foi aprender a socializar mais com as pessoas fora do trabalho, descobrir novos amigos em velhos conhecidos. Comecei a sair mais à noite e a ver diversão onde antes via apenas confusão, aprendi a apreciar a companhia dos meus amigos, a ouvir música em grupo e até que não importa que não saibas dançar desde que te estejas a divertir.
O quarto esforço, que acaba também por ter ajuda dos outros três esforços, foi o de lutar pelo que quero e não ter medo de arriscar. Tudo na vida é assim, há um certo medo que nos domina e que temos de aprender a dominar, incluindo no amor. No amor há aquele medo de arriscar, de não dar certo, de… de tanta coisa. No entanto, não é a ficar parado que as coisas acontecem, não e fechados em nós mesmos que a outra pessoa vai ver em nós alguma coisa. O amor só chega quando nos conseguimos amar o suficiente e mostrar ao outro que também o podemos amar na mesma medida. E, pela primeira vez na vida, descobri o que é realmente amar alguém e ser amada.
E pronto, é por tudo isto que tenho estado ausente, mas prometo melhorar isso.

Beijinhos.

1 comentário: