quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Encontrei-me

Encontrei-me

Por vezes, perco-me sozinha
Na imensidão do vazio
Cheio de um nada sufocante
Repleto de ausências sentidas

Perco-me por abandono
Dos que foram e me deixaram
Dos que ficam e não estão
Dos que me levaram e não trouxeram

Perco-me de mim mesma
No meio das trevas da mente
(Não) Sei onde estou
Talvez (não) queira saber

Perco-me aqui (eu sei)
Neste lugar nenhum
Onde (não) quero saber se estou
(Nem) Quero cá me achar

Perco-me do sorriso nos lábios
Sem brilho nos olhos
Com uma dor na alma
Uma mentira para cegos

Perco-me de pálpebras fechadas
De lágrima solta
Imagino uma luz de esperança
Que ilumine a escuridão

Perco-me e grito (em silêncio)
Para chamar por mim
Calar as vozes de todos os outros
E me ouvir (gritar, chamar e reconhecer)

Perco-me no tempo
Sem tempo
Mas a tempo
De me achar

Perco-me outra vez
Desta vez, de tudo isto
Ouço e abro os olhos
Vejo-me na luz (que há dentro de mim)

Encontrei-me

Sigo em frente.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Pensamentos... #58

"Nem sempre se trata de ter uma vida diferente, às vezes trata-se de ter pessoas diferentes nela."

Pensamentos... #57

"Vive a tua vida à tua maneira, porque é a tua vida!"

Pensamentos... #56

"Não importa o que os outros pensam de ti, se tu souberes quem és!"