terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Pensamentos... #45


"Não esperes que os outros façam por ti aquilo que tu fazes por eles. Assim, como não esperes que seja um amigo aquele que só está interessado no que tu lhe podes dar."

Pensamentos... #44

"Ele não conspira contra ti. Ele dá-te a oportunidade de te tornares em algo melhor e encontrares a tua felicidade. Há sempre uma razão para tudo!"

Pensamentos... #43


"A grande diferença entre nós cabe numa palavra: Carácter!"

Pensamentos... #42

"O nosso destino é aquilo que nós fazemos da nossa vida."

Pensamentos... #41

"Sorte é nascermos com saúde, a felicidade é uma escolha."

Pensamentos... #40

"A felicidade é um pequeno bom momento, ser feliz é fazer com que a vida seja repleta de pequenos bons momentos."

Pensamentos... #39

"Eu não sou uma pessoa especial, mas ainda assim, continuo a ser eu mesma."

Pensamentos... #38

"Tudo se resume a uma existência simples e vulgar, mas tudo teria sido diferente se não tivesses nascido. Simplesmente, agradeço por nesta vulgar existência existir alguém que me fez sorrir quando me apetecia chorar, acreditar quando me apetecia desistir..."

Pensamentos... #37

"Eu não sou suficientemente bonita para ti, mas serei sempre o dobro daquilo que mereces e o triplo do que alguma vez irás ter!"

Pensamentos... #36

"Não me interessa ser uma pessoa normal, interessa-me ser eu mesma!"

Pensamentos... #35

"Esta noite eu sonho que um dia poderei ser feliz."

Pensamentos... #34

"A melhor forma de alguém sofrer é apaixonar-se por uma ilusão, por uma mentira..."

Pensamentos... #33

"Tudo na vida tem um início e um fim, este é o início de um fim e o princípio de um novo capítulo da minha vida."

Pensamentos... #32


"O passado nunca volta, mas o presente pode ser uma forma de tornar o passado numa boa recordação."

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Barco sem remos...

Sou fraca, demasiado fraca para o admitir também, e estou cansada do rumo que este barco está a tomar.  Queria poder voltar atá, remar contra a maré e voltar a um porto seguro, à segurança a minha Felicidade, da minha paz, mas não posso… Não tenho remos e tenho de me sujeitar a esta maré.
Mentiam-me.
Mentiram-me de uma forma descarada, prometeram e fizeram-me acreditar que podia ser diferente, que ia ser bom para mim. Não o é. É só mais da mesma angústia dia após dia, tempestades e mais tempestades. Como estou viva? Também não sei, certamente não será por ser forte. Aliás, talvez seja por ser fraca, tão fraca que caio e não me levanto do porão, deixo-me estar sentada ao sabor perverso da maré, até que um dia ela resolva virar o barco e me arrastar para o fundo das águas.